icon__search

Por que a Base Existe

série de mensagens

Em volta da fogueira II

February 16, 2024 • Victor Vieira

Em volta da Fogueira

February 15, 2024 • Victor Vieira

Zelo pela presença de Deus

July 9, 2023 • Felipe Merotto

Incluindo outros a família

September 25, 2022 • Anderson Endlich

“E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar”. Atos 2:46,47 RESUMO 1. Por que incluir outros? A simplicidade da resposta pode parecer absurda, mas por vezes nos é esquecida. Nós incluímos porque um dia fomos incluídos! Imagine se após a assunção do Senhor aos Céus os discípulos simplesmente resolvessem que a Mensagem só fosse para os 120 que perseveraram até o derramar do Espírito em Atos 2 e quem viesse depois que procurasse um novo Messias para si, porque aquele era deles e de mais ninguém. Parece engraçado, exagerado e de fato o é, mas, se não nos atentarmos somos facilmente levados à negligenciar esse princípio fundamental não só da nossa comunidade, mas do próprio Evangelho. Jesus convoca Seus discípulos para serem Suas testemunhas, ou seja, não guardarem para si aquilo que viram e ouviram, mas que fossem por toda a Judéia, Samaria e os confins da terra (At.1.8), espalhando sua mensagem. Logo, quando somos confrontados pelo amor Deus e dizemos sim para Ele, é um movimento natural querermos que mais pessoas tenham esse encontro. “O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida (Porque a vida foi manifestada, e nós a vimos, e testificamos dela, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai, e nos foi manifestada); O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo. Estas coisas vos escrevemos, para que o vosso gozo se cumpra.” (1 João 1:1-4) 2. Como incluímos? Existem várias formas de incluir e olhando para as Escrituras podemos ver o exemplo do próprio Jesus quando convida os 12 futuros apóstolos a fazer parte de sua missão. Ele chamou um cobrador de impostos (Lc. 27-28) e pescadores (Mt. 4:18-22) a deixar suas funções e pertencer ao propósito eterno de Deus, curando, pregando, orando, expulsando demônios, vivendo de maneira profunda o que aprenderam com o próprio Deus encarnado. Paulo organiza igrejas e encarrega Timóteo (1 Tm. 1:3), Tito (Tt. 1:5), Epafras (Cl. 4:12) de perseverar levando adiante a palavra da Verdade deixando que também façam parte da gloriosa história do evangelho. Davi poderia ter construído o tabernáculo e sozinho adorar a Deus, mas convidou o povo em suas diversas funções (1 Cr. 23:2-5) para servir e interagir com o que Deus estava construindo no meio do povo de Israel. Na Base nos dividimos em departamentos que somente podem funcionar por meio do voluntariado e todos são chamados para fazer parte, também utilizamos a mídia como uma ferramenta de propagação do evangelho e inclusão de pessoas que desejam se conectar com a mensagem do Reino. 3. O que acontece se eu não incluir? A inclusão é mais que apenas convidar alguém para uma reunião, ou fazer parte de um grupo de pessoas. Incluir está relacionado a um comprometimento, um vínculo que vai além de similaridade de gostos, o nosso vínculo é o próprio Cristo. Com esse pensamento em vista, se nós deixamos de incluir (sejam novos na fé ou aqueles que já estão conosco e que, por vezes, passam despercebidos) por qualquer razão que seja, estamos impedindo que tal pessoa seja inserida no Propósito Eterno de Deus. Precisamos viver plenamente o Amar a Deus sobre todas as coisas, para assim podermos cuidar bem uns dos outros e assim estender a mão para aqueles que estão se achegando ao Pai. “Todos vocês são filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus, pois os que em Cristo foram batizados, de Cristo se revestiram. Não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher; pois todos são um em Cristo Jesus.” (Gl.3.26-28)

Cuidar Bem Uns dos Outros

September 18, 2022 • Mariana Merotto

Hoje quero conversar sobre mais um aspecto das nossas palavras proféticas e o segundo item do nosso porque, cuidar uns dos outros. Na semana passada o Felipe falou sobre zelar pela presença. Esse é nosso primeiro porque e guia tudo mais que fazemos. Nada se compara ao chamado de cultivar a presença de Deus, mas a partir desse amor e zelo pelo Senhor é natural que cuidemos uns dos outros. Observamos isso quando Jesus é questionado a respeito do maior mandamento. “Ao ouvirem dizer que Jesus havia deixado os saduceus sem resposta, os fariseus se reuniram. Um deles, perito na lei, o pôs à prova com esta pergunta: "Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?" Respondeu Jesus: " 'Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento'. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: 'Ame o seu próximo como a si mesmo'.” Mateus 22:34-39 Em 2006, antes mesmo da Base existir como conhecemos hoje, Victor e Stephanie receberam uma palavra profética que seríamos família, assim como a Palavra diz em Romanos 8:29 “Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos” Essa ordem que temos de sermos família, cuidando uns dos outros, fica ainda mais clara em 2013, com a visão da fogueira. 1 – A família de Deus Quando falamos de família, nosso próprio entendimento pode ser afetado por nossas más experiências em casa, e isso pode acabar nos fazendo não abraçar completamente a ideia nos proposta pelo Senhor. É preciso então entender o que Deus deseja e intenta com a família e seu coração apaixonado por ela. Jesus deixa muito claro que seu papel como filho é revelar o Pai, e por toda a bíblia podemos ler sobre o desejo de Deus em formar uma família. “Mesmo antes de criar o mundo, Deus nos amou e nos escolheu em Cristo para sermos santos e sem culpa diante del. Ele nos predestinou para si, para nos adotar como filhos por meio de Jesus Cristo, conforme o bom propósito de sua vontade” Efésios 1:4-5 O desejo de Deus com sua família é demonstrar seu amor e seu cuidado para conosco, nos ligar eternamente e nos da uma filiação e uma identidade inabaláveis. Entendendo isso, somos chamados a refletir esse desejo na terra, cuidando bem e amando uns aos outros. 2 – Cuidando uns dos outros Cuidar de alguém é um ato de amor, motivado não por nossos próprios interesses, mas enraizados no amor que recebemos de Deus. Esse cuidado vai muito além de um socorro em um momento de angústia, mas fala também do meu desejo e atitude para que meus irmãos cresçam, se desenvolvam e andem no propósito de Deus. A comunidade de atos e as igrejas a qual Paulo se dirigia nos mostram que esses irmãos entendiam o encargo de cuidar uns dos outros. A palavra nos diz em Atos 2: 42-47 da comunhão desses irmãos, da sua disponibilidade em servir e repartir seus bens e do seu hábito de orarem juntos. Nas saudações do apostolo as igrejas, fica claro seu amor por eles, seu zelo pelo seu bem estar e o desejo de seu coração em estar em comunhão com eles. Mais do que passos práticos de como cuidar do seu próximo, eu gostaria que apendêssemos juntos alguns princípios que podem guiar tudo que fazemos para cuidarmos bem uns dos outros. Primeiro, cuidar é zelar pelo bem estar e estar atento as necessidades de alguém. Vemos isso em como a igreja primitiva repartia seus bens, em como Paulo e os apóstolos se esforçavam no cuidado com aqueles que eram acrescentados, em como a própria igreja se preocupava com o apóstolo e em como Jesus servia os discípulos. “Como eu me alegro no Senhor por vocês terem voltado a se preocupar comigo! Sei que sempre se preocuparam comigo, mas não tinham oportunidade de me ajudar” Filipenses 4:10 Quando me preocupo pelo bem estar de alguém, sou proativo em perguntar sobre suas necessidades físicas, emocionais e espirituais. Isso quer dizer que fico atento ao que meus irmãos falam, as suas circunstâncias e tomo a iniciativa de não só me interessar por ele, mas de me envolver com aquilo que ele precisa. Eu não encaro meu irmão como um peso, mas o encaro com a consciência do privilégio de servir alguém que é parte da família. Cuidar é também cooperar para o destino e a formação espiritual do meu irmão. Os apóstolos, de maneira geral, pagaram um alto preço para que os novos convertidos a fé cristã pudessem não só aprender, mas também caminhar nos ensinos de Cristo. “Ó meus filhos queridos, sinto como se estivesse passando outra vez pelas dores de parto por sua causa, e elas continuarão até que Cristo seja plenamente desenvolvido em vocês” Galátas 4:19 Isso quer dizer que me torno, voluntariamente parte do processo de crescimento daqueles ao meu redor, quer seja pelo ensino direto, quer seja pela ajuda mútua na prática e entendimento da palavra. É importante também ressaltar que eu garanto que meu irmão seja relembrado de suas palavras proféticas em momentos de luta, que seja encorajado em seu chamado e celebrado em suas vitórias. Quando me envolvo em cuidado com a comunidade meu desejo não é que eu cresça e avance sozinho, mas meu coração se alegra quando cada um de nós está caminhando em seu destino dado por Deus. Nessa caminhada, é natural também que o cuidado se traduza em correção amorosa. Se sou eu quem está corrigindo preciso me certificar que essa correção é feita com o intuito de trazer a pessoa ao caminho da verdade, e não de julgar ou humilhar. Se estou recebendo a correção preciso apresentar meu coração receptivo a ela, e não combativo. Para que a correção atinja seu objetivo (retorno ao caminho correto), é necessário que a fundação seja o amor, e não a condenação. “Portanto, irmãos, cuidem para que nenhum de vocês tenha coração perverso e incrédulo que os desvie do Deus vivo.Advirtam uns aos outros todos os dias, enquanto ainda é "hoje", para que nenhum de vocês seja enganado pelo pecado e fique endurecido” Hebreus 3:12-13 3 – Assumindo meu papel Uma das coisas que mais impactou a primeira vez que o Victor falou no Bases, foi quando ele disse que promessas proféticas são convites, não garantias. A promessa profética que temos da fogueira e o encargo de cuidarmos uns dos outros, não são convites para o Victor, eu ou Felipe mas para todos que se sentem chamados a fazer parte da Base. A Base é uma instituição inanimada e não é capaz de obter a promessa sem que aqueles que fazem parte dela se engajem ativamente no processo. Para que juntos alcancemos o desejo de Deus para nós, é preciso que cada um assuma seu papel naquilo que Ele nos chamou. Cuidar uns dos outros não acontece apenas no IC e não precisa de uma programação institucionalizada mas flui do senso de família que desenvolvemos juntos. Esse senso de família, por sua vez é desenvolvido quando decidimos conviver e dividir a vida. Eu não preciso aguardar que alguém me procure, mas devo assumir a minha responsabilidade em criar família e cuidar dos meus. Amar uns aos outros também não é apenas para os que já estão, mas envolve acolher com amor os que chegam e procurar alcançar os que ainda não conhecem a Cristo. 4 – Conclusão Eu amo o fato de que nossas promessas proféticas estão atreladas aos encargos que temos como comunidade e que cada um deles pode ser vivido de maneira prática por cada um de nós. Meu convite hoje é para que você reflita em como tem exercido sua parte no mandato que temos cuidar uns dos outros, para que entremos na promessa de sermos uma família. Que o Senhor nos inunde de Seu amor, para que possamos amá-lo profundamente e permitirmos que esse amor transborde de nossas vidas através do cuidado com meus irmãos.

Zelar pela Presença

September 11, 2022 • Felipe Merotto

Mt. 21:13 – “As Escrituras declaram: ‘meu templo será chamado casa de oração’”. Jesus deu um nome para sua casa, demonstrando o seu desejo para a atividade realizada no templo. Is. 66:1 – “O céu é meu trono, e a terra é o suporte de meus pés. Acaso construíram para mim um tempo assim tão bom?” Essa pergunta de Deus a Isaias é um convite para que possamos construir um lugar para sua habitação. Sl. 132 – “Senhor, lembra-te de Davi e de tudo que ele sofreu. Ele fez uma promessa solene ao Senhor; jurou ao Poderoso de Jacó: Não voltarei para casa, não descansarei em minha cama, não deixarei que meus olhos durmam, nem fecharei as pálpebras para cochilar, enquanto não encontrar lugar para a habitação do Senhor, o santuário para o Poderoso de Jacó.” Esse voto solene de Davi é onde queremos nos posicionar, é um voto que tomamos como nosso, e não descansaremos até construirmos um lugar para a habitação do Senhor na cidade de Vitória. O chamado de Jesus para a igreja em Mateus 21, é também uma das promessas proféticas da Base e se conecta com nosso por que número um de Zelar pela presença de Deus. Todas as outras coisas podem começar e parar, mas a promessa de sermos uma casa de oração não é um conceito, mas uma realidade, entramos no nosso destino todas as vezes que nos reunimos em uma sala de oração. Toda sala de oração é uma oportunidade de tocarmos em nossas palavras proféticas, e em colaborarmos com nosso por que. Nosso desejo é estabelecer uma assembleia solene perpétua, a reunião do povo de Deus, em arrependimento, jejum e oração, nos posicionando para o derramar do Espírito prometido em Joel para os últimos dia, e nos preparando para a volta de Jesus. Para isso, estabelecemos o nosso por que, o motivo número um da nossa existência é Zelar pela presença de Deus, a sala de oração é o meio como fomos chamados a fazer isso. Vemos em Apocalipse no capitulo 5 que: “Quando o cordeiro recebeu o livro, os quatro seres vivos e os 24 anciãos se prostraram diante dele. Cada um tinha uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações do povo santo”. Quando nos reunimos em adoração e oração estamos enchendo a sala do trono de Deus com nossas orações, como aroma suave diante d’Ele, mesmo que não estejamos vendo nada acontecer, não podemos ignorar a realidade do que está ocorrendo diante do cordeiro. Lucas 18 – “Acaso Deus não fará justiça a seus escolhidos que clamam a ele dia e noite? Continuará a adiar sua resposta? Eu afirmo que ele lhes fará justiça, e rápido! Mas, quando o filho do Homem voltar, quantas pessoas com fé ele encontrará na terra?” Jesus também demonstra sua vontade de encontrar um povo que clama dia e noite por justiça, um povo que será encontrado com fé quando Ele retornar. É para isso que existimos, esse é o nosso por que, existimos para responder um anseio do coração de Deus, e isso se conecta com as nossas promessas proféticas.

Para o quê somos chamados

September 4, 2022 • Victor Vieira

"Por isso também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade, e a obra da fé com poder; Para que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo seja em vós glorificado, e vós nele, segundo a graça de nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo." 2ª Tessalonicenses 1:11,12 Em algum momento a sua vida deve se alinhar com as promessas proféticas. As promessas de Deus são gigantes e tem implicações globais, não estão limitadas à Base em Vitória-ES. Paulo orou para que sejamos encontrados dignos de nossos chamados, porque é possível estar vivendo maravilhado com as promessas, mas não se preparar, não viver de acordo a elas. COMO IREMOS RESPONDER AO CONVITE Conforme os anos se passam é possível se tornar mais cínico ou mais crente a respeito das promessas. O cinismo é uma forma de ressignificar o que Deus disse e tentar viver uma vida desconectada com as promessas de Deus. Você não deve abrir mão das promessas proféticas mesmo na tentação do tempo, demora, poucos recursos, e outras dificuldades. Articule sua vida para que a Base possa ser um lugar onde deus possa realizar suas promessas, por meio de pessoa que rejeitam o cinismo e a descrença. VIVER DE MANEIRA DIGNA DO CHAMADO Com fé e paciência no meio das perseguições você consegue se qualificar. Conforme você não desiste das promessas e abraça elas, você é edificado e cresce com perseverança, paciência e esperança. Esse é o meio pelo qual você pode se qualificar para ver Deus cumprir suas promessas através da sua vida. CUMPRIR TODO O DESEJO SEGUNDO A SUA VONTADE A boa vontade de Deus para a Base é que você possa andar na plenitude das promessas proféticas. Se você disser sim para Deus, quando ele vier, Ele será glorificado em você. Você está sendo desafiado a assim como Paulo, se sacrificar em prol do propósito de Deus. Uma entrega sacrificial do altar do seu próprio ego. REFLEXÃO 1) VOCÊ CONHECE QUAIS SÃO AS PALAVRAS PROFÉTICAS DA SUA COMUNIDADE? COM QUAL FREQUÊNCIA VOCÊ ORA POR ELAS? 2) VOCÊ TEM CORRESPONDIDO AS PROMESSAS QUE RECEBEU? SEJA ELA INDIVIDUAL OU DE FORMA COLETIVA 3) EXISTE EM VOCÊ UM DESEJO SACRIFICIAL EM PROL DO PROPÓSITO DE DEUS?

Um Convite à Presença

July 3, 2022 • Mariana Merotto

Vamos conversar um pouco sobre os capítulos 19 e 20 de Êxodo. Sei que o livro de Êxodo pode parecer conter uma lista interminável de regras, rituais e coisas que eles deveriam fazer. Quando olhamos dessa maneira, muito do livro pode parecer dispensável para os dias de hoje. No entanto, se conseguirmos olhar para além de uma lista superficial, das instruções que nos parecem árduas, veremos ali o coração de Deus em estabelecer um relacionamento real, dinâmico e vivo com seu povo. Um Deus que sempre desejou habitar no meio do seu povo. Podemos ver nos relatos desse livro, uma manifestação profética do plano de Deus para a humanidade. Estávamos em cativeiro, somos levados pelas mãos do Senhor para fora dele e conduzidos em uma jornada, até a terra prometida. Ele habitará em nosso meio, plenamente no fim de todas as coisas É então, no meio dessa história que podemos aprendemos algo poderoso, que se torna uma direção para nós. 1 - O plano de Deus Ex 19:1-6 “Ao terceiro mês da saída dos filhos de Israel da terra do Egito, no mesmo dia chegaram ao deserto de Sinai, Porque partiram de Refidim e entraram no deserto de Sinai, onde se acamparam. Israel, pois, ali se acampou em frente ao monte.E subiu Moisés a Deus, e o Senhor o chamou do monte, dizendo: Assim falarás à casa de Jacó, e anunciarás aos filhos de Israel: Vós tendes visto o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim; Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha.E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel” Quando Deus libertou o povo do Egito, seu plano não era apenas os livrar das mãos do opressor, mas leva-los a algo superior. Deus não os livrou do Egito para abandoná-los no deserto, mas seu intuito ao tirá-los do Egito era coloca-los no centro de sua vontade: Pertencimento a Ele. Eles saíram do cativeiro para entrar em seu destino. Dentro desse plano, algo era essencial, o relacionamento com Deus. O Pai tinha em seu coração o desejo ardente de trazê-los para comunhão íntima. “Nenhuma mão tocará nele; porque certamente será apedrejado ou asseteado; quer seja animal, quer seja homem, não viverá; soando a buzina longamente, então" Ex. 19:13 Após dar as instruções da forma pela qual seria possível entrar em sua presença, Deus faz o convite mais maravilhoso que poderia haver: Venham todos para perto da minha presença manifesta. Da mesma forma, hoje a presença de Deus convida a todos nós. A frase que ouvi do Senhor durante a visão do monte era: o convite é para todos. Estar inserido no mais alto nível de comunhão com Deus não é um privilégio de apenas alguns homens ou mulheres “mais santos”, mas um convite a todos que O conhecem. Não existe qualificação especial necessária para entrar na presença de Deus, o convite é feito a todos. A presença de Deus, seu poder e suas maravilhas não estão limitadas a um tipo de pessoa e nem exigem nada além de devoção total. 2 – A resposta do povo Apesar de não exigir nenhuma qualificação especial, entrar e estar na presença de Deus exige muito de nós. Deus não fez acepção de quem poderia estar em sua presença, mas passou um longo período falando sobre a purificação e a os passos necessário para isso. Quando a presença do Senhor se manifestou no Sinai, a resposta do povo foi triste e decepcionante. Ex. 20:19-20 “E disseram a Moisés: Fala tu conosco, e ouviremos: e não fale Deus conosco, para que não morramos. E disse Moisés ao povo: Não temais, Deus veio para vos provar, e para que o seu temor esteja diante de vós, a fim de que não pequeis” Mas o que fez o povo recusar o convite do Senhor? Porque mesmo diante das maravilhas, dos sinais, do sobrenatural que eles já haviam experimentado, os israelitas ainda assim preferiram um interlocutor a estar com Deus? Quando acompanhamos a história percebemos que o medo os fez recuar, e eles tinham medo porque sabiam de seu pecado, e não desejavam abrir mão daquilo que os afastava do Senhor. Eles até estavam dispostos a cumprir os rituais, mas não a tratar com o coração. Todos são convidados a amizade com Deus, a estarmos próximos e em comunhão com Ele. Mas ela nos pede que deixemos a amizade com o mundo. (Tiago 4:4-5). E o que seria ser amigo do mundo? Não apenas atitudes, mas um coração inclinado a satisfazer os padrões do mundo. subirão ao monte” Quando desejamos ser aprovados pelo mundo, quando seus padrões nos guiam, quando nossa medida se iguala a medida desse século, fizemos uma amizade com o mundo. É interessante que diante da negativa do povo, Moisés identifica uma causa, e faz um jogo de palavras com as palavras “medo” e “temor”. Vemos que ele diz que a manifestação poderosa de Deus era para que eles tivessem temor e assim não pecassem. Ele aqui fala sobre temor que tem a ver com a consciência da magnitude e esplendor de Deus, produzindo em nós um coração que o deseja mais do que as coisas desse mundo. Mas a resposta deles foi o medo, que nos prende em nossa condição e nos mantém distantes de Deus e seu caráter misericordioso e transformador. O próprio Moisés passou por isso em sua vida, uma vez com medo do Senhor, (Êxodo 3:6), ele aprendeu a temer a Deus, e assim desejar a sua glória mais do que tudo. O medo fazia com que Moisés cobrisse o rosto, o temor, com que pedisse pela glória (Êxodo 33:18). A jornada de amizade com Deus, fez com que aquilo que o povo rejeitava, fosse seu desejo mais profundo. 3 – O convite é estendido por Jesus, o caminho é aberto por Ele. Mas o convite de Deus não foi encerrado quando o povo O rejeitou. Deus, o bom Pai ainda nos convida e nos espera. Jesus, em todo momento nos mostrou um caminho construído por intimidade e comunhão com o Pai. Foi ele que nos garantiu que podemos ser amigos. João 15:15 Ser um com Deus é o anseio mais profundo e legítimo do coração humano, e a boa notícia é que Deus não está apenas disposto a saciar esse desejo, mas foi Ele mesmo que o plantou em nós. Nesse mesmo capítulo de João, Jesus nos diz que somos seus amigos se o obedecermos, e Salmos 24 mostra quem poderia subir o monte do Senhor. “Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo?Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente. Este receberá a bênção do Senhor e a justiça do Deus da sua salvação.” Salmos 24:3-5 Ele fala sobre mãos limpas (atitudes) e coração limpo (intenções). Olhando para nós mesmos nos parece impossível, mas se continuarmos nossa leitura veremos como isso é possível. “Esses receberão a justiça de Deus”. A palavra é clara em dizer que Jesus se fez justiça por nós. “Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer .” “Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus” (2 Co 5:21) Através de seu sacrifício recebemos a nova natureza que nos torna santos, reconciliados com Deus. Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo;Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. (Romanos 5:1-2) (1 Pedro 2:9), Pedro ecoa ainda, as mesmas palavras ditas por Deus ao povo, momentos antes de seu convite a presença, ecoando também o convite de Deus, para o lugar para o qual fomos feitos: pertencentes a Ele, dentro de sua nuvem de Glória. Nós, temos, como a palavra nos afirma, um novo e vivo caminho para presença. Esse caminho nos dá acesso a Deus e também a sua nuvem de glória. Conclusão Colossenses 1:13-23 Assim como o povo hebreu, estamos em uma jornada com Deus. Nessa jornada o destino não é um lugar, uma posição ou uma recompensa física, mas o coração de Deus e sua poderosa presença, e por isso ela se torna interminável. Assim, ligados a Deus e imersos em sua glória, somo convidados a experimentar de seus sinais e suas maravilhas. É a partir desse lugar de amor e intimidade que devemos fluir e receber da glória. O fato é, existe um convite sobrenatural para nós, encharcado do amor e do desejo do Pai, existe um caminho disponível para nós, por causa do sacrifício do filho, existe uma nuvem de glória manifesta a nossa frente, carregada do poderoso Espírito de Deus. “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”

Joel 2

June 26, 2022 • Victor Vieira

Joel 2 RESUMO A grande ênfase do livro de Joel é o dia do senhor. O dia do Senhor segundo Malaquias, é grande e terrível. É grande para todos aqueles que esperam no Senhor e confiam na sua liderança e é terrível para aqueles que não esperam no Senhor e não estão obedecendo a liderança de Deus. I - Ameaça do desastre natural e da crise militar Deus lidera muitas vezes de forma ofensiva para o seu coração. Ele te ama ao ponto de não te deixar abandonado no seu falso sucesso. Ele quer chamar a sua atenção para ver que existe um plano mais importante a ser vivido e experimentado. Toda a terra será abalada pela proximidade que o dia do senhor traz, e nesse momento, Deus espera uma resposta do seu povo. II - Você como precursor deve ser: Existe um som de alarme sendo dado da parte de Deus, a respeito de coisas severas. Deus quer que seu povo se desperte para a realidade de que uma grande crise está se aproximando. A finalidade da pregação sobre o dia do senhor é para trazer atenção para o seu povo, e fazer com que seus corações tremam. A mensagem de Joel é feita para que você seja abalado agora, e não depois. Isso quer dizer que se você ficar chocado hoje, com a realidade do que vem, você poderá ser útil para Deus quando tudo mais estiver sendo abalado. III - Como você deve viver Joel 2:12-13 Volte-se para Deus. A resposta que Deus espera na crise é que seu povo se volte para Ele. Isso significa se arrepender, quebrar todo acordo que você tem na sua vida com o pecado. Voltar-se para Deus, envolve jejuar e arrepender-se com tristeza. IV – Depois da resposta à crise O derramar do espírito vem como resposta ao que foi feito com à crise. Se tudo o que você fez foi reclamar dela, você não terá o derramar do espírito. Mas se você se posicionar no lugar de oração, com jejum, com quebrantamento, com lagrimas diante de Deus, ele derramará o seu Espírito sobre toda a carne. REFLEXÃO I- Como você tem se preparado para o dia do senhor? II- Como tem sido sua resposta diante das crises?

Avivamento

June 19, 2022 • Felipe Merotto

Conceito: é o ato de se avivar, ou seja, de se tornar mais vivo, mais ativo, mais intenso, despertado e nítido. Este é um termo bastante usado no âmbito religioso para se referir ao período de renovação espiritual. Embora não haja a palavra avivamento na bíblia, podemos ver isso acontecendo em diversas passagens, as mais famosas sem dúvida estão descritas no livro de Atos, mas hoje vamos falar sobre o avivamento de Gales O país de Gales é um principado do Reino Unido, no século 20 tinha uma população de cerca de um milhão de pessoas. A principal atividade econômica era a exploração das minas de carvão. Era uma região cheia de igrejas e com muitos pregadores, mas faltava algo – Paixão pela mensagem. Um dos pregadores proeminentes da época dizia “A maior necessidade da nação galesa hoje é avivamento espiritual” – Dean Howell. Muitas pessoas começaram a orar por avivamento, reconhecendo que o estado espiritual em que estavam não era o que deveria ser. A pergunta que gerou grande incomodo: “O que Jesus significa para você?” Saber sobre Deus não significa conhecer a Deus! Evan Roberts era um jovem, simples, mas apaixonado por Jesus, ele foi um dos precursores e certamente o mais famoso nome no avivamento de Gales. Sua sede por mais de Deus chamava atenção, e Roberts não perdia uma reunião de oração com medo de perder o que poderia acontecer quando o Espirito Santo estivesses presente. Sua palavra era quase sempre a mesma, e contemplava quatro pontos Arrependimento: Nenhum avivamento genuíno pode existir sem que haja arrependimento. Isaias 59:1-2: Ouçam! O Braço do Senhor não é fraco demais para salvá-los, nem seu ouvido é surdo para ouvi-los. Foram suas maldades que os separaram de Deus; por causa de seus pecados, ele se afastou e já não os ouvirá. O avivamento é a manifestação da presença de Deus em uma pessoa ou conjunto de pessoas, isso deve trazer consigo temor do Senhor, esse temor deve produzir arrependimento e santidade. Êxodo 20:20 – Moises respondeu: “Não tenha medo, pois Deus veio desse modo para prova-los e para que o temor a ele os impeça de pecar”. Reconciliação: se houver alguma barreira com qualquer pessoa, remova-a. Se tiver causado prejuízo a alguém, restitua. Acerte qualquer mal, não deixe nenhuma sombra, perdoe para ser perdoado. Fome: Isaias 64: 1 Quem dera abrisses os céus e descesses! Precisamos estar apaixonados, desesperados, desejosos para que Ele venha. A paixão pela palavra é um elemento fundamental em um cristão avivado. Transformação: Gálatas 5: 22-24 Mas o Espírito produz este fruto: amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Não há lei contra essas coisas! Aqueles que pertencem a Cristo Jesus crucificaram as paixões e os desejos de sua natureza humana. A oração de Roberts também se repetia vez após vez: “Envie o Espirito Santo agora, por amor a Jesus”. Outro ponto importante, o senso da presença de Deus era muito forte. Nem todas as reuniões eram cheias de gozo e poder, as vezes Ele vinha no silêncio, e ensinava sobre perseverança, mas todas as reuniões eram cheias de expectativa e amor pela presença de Deus, ninguém queria sair dali, tamanho o gozo pela presença. O fato de isso ter ocorrido em um pais sem grande expressão, ter iniciado com jovens, sendo o principal líder alguém com apenas 19 anos de idade, e ter se iniciado com simples reuniões de oração, mas cheias de paixão, nos mostra que é possível experimentar mais de Deus, mesmo em pequenos grupos sem grandes plataformas.

A nova estação está começando

May 9, 2021 • Nelsa Trancoso e Victor Vieira

“Fiel é o que vos chama, o qual também o fará.” I Tessalonicenses 5:24 RESUMO Existem diversas vivências significativas na sua história e todas elas têm importância fundamental no crescimento e desenvolvimento da vida. Do passado ao presente as experiências moldam seu futuro conforme acontecem e não tem mais ou menos validade, são uma constante construção que não deve estagnar, mas sim avançar em crescimento. Deus promete e garante que faz todas as coisas cooperarem para os que são chamados para seu propósito (Romanos 8:28). Tudo que ocorreu faz parte de algo que Deus fez, mas prosseguimos olhando para o prêmio futuro onde o evangelho do Reino será anunciado a todas as nações. Vivemos à luz da expectativa de que não podemos parar no que Deus já fez, nem lembrar do passado como se o futuro não fosse bom ou superior. O futuro é prometido e garantido por Deus, por isso podemos prosseguir. Fazer discípulos de todas as nações é necessário, os sinais e maravilhas nos acompanham enquanto avançamos. Existem novas histórias a serem conquistadas! Se permanecemos no passado não abrimos espaço para o novo de Deus. Encha seu coração de expectativa para esta nova fase e acredite que Deus sempre prepara o melhor para seus filhos. REFLEXÃO 1. Em Filipenses 3:13-14, Paulo fala sobre avançar e prosseguir para o alvo. Você consegue amar o passado, mas caminhar para o futuro com entusiasmo e paixão pelo novo de Deus? 2. Muitas vezes boas experiências anteriores, trazem apego ou medo por deixar o passado e seguir adiante. Você se sente assim com esta nova fase? Ore por isso e seja tranquilizado e revigorado pelo Deus que faz novas todas as coisas e sempre reserva o melhor.

Desdobramentos da Habitação de Deus

December 13, 2020 • Victor Vieira

"28 E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. 29 E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito. 30 E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. 31 O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor. 32 E há de ser que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo; porque no monte Sião e em Jerusalém haverá livramento, assim como disse o Senhor, e entre os sobreviventes, aqueles que o Senhor chamar." Joel 2:28-32 A habitação de Deus não é uma ideia ou uma teoria, é uma realidade. Quando Deus vem, nada permanece como era antes. Não existe espaço para indecisão, justiça é feita, doenças são curadas e misericórdia é derramada. Promessa A promessa em Joel 2 é a garantia de que o Espírito Santo será derramado. E quando isso acontecer, você verá uma igreja como nunca vista antes. Antes do grande dia, antes da sua volta, Ele derramara o seu Espírito sobre todos. Todos que invocarem o nome do senhor será salvo Avivamento Avivamento é quando você anda no poder de Deus. O avivamento vem sobre um povo de oração, mas também sobre despreparados. Em um avivamento ninguém fica indeciso, ou você segue ou você persegue. O mesmo ontem, hoje e amanhã O que ele fez no passado e fará no presente, ele quer fazer no hoje também. No futuro tem um jardim onde Deus habita sem doenças ou injustiças. O mesmo Deus de Moisés, Isaac, Jaco, Samuel, Davi, Isaías e tantos outros ao longo da história pode fazer as mesmas coisas feitas através da vida deles hoje. A Base existe para que você possa zelar pela presença de Deus, aguardar pelo comprimento das promessas enquanto caminha através de relacionamentos de aliança. REFLEXÃO 1) Quais consequências da habitação de Deus que você mais espera ver? 2) Entre os feitos do Deus de ontem, e as promessas, o que você gostaria de ver hoje? 3) Como você imagina ser um avivamento?

Por que a Base existe?

December 6, 2020 • Victor Vieira

"Assim diz o Senhor: O céu é o meu trono, e a terra, o estrado dos meus pés; que casa me edificareis vós? E qual é o lugar do meu repouso? Porque a minha mão fez todas estas coisas, e todas vieram a existir, diz o Senhor, mas o homem para quem olharei é este: o aflito e abatido de espírito e que treme da minha palavra. " Isaías 66:1,2 RESUMO Por que existimos e por que estamos fazendo o que estamos fazendo? A Base existe por causa da presença de Deus. Pessoas fazem aliança entre si para proporcionar um lugar onde Deus possa manifestar a Sua presença. Por que a presença de Deus é o nosso maior objetivo? – Porque é também o maior o objetivo do próprio Deus. Is 66.1,2 – Contexto: o tempo de Salomão estava funcionando - momento em que ocorria a presença manifesta da glória de Deus – a Shekiná. Is 66.1a - Assim diz o Senhor: O céu é o meu trono, e a terra, o estrado dos meus pés; que casa me edificareis vós? – Quando Deus nos faz uma pergunta Ele quer chamar a nossa atenção pra aquilo que é importante pra Ele, Ele quer que pensemos sobre o assunto. Is 66.1b - E qual é o lugar do meu repouso? – Deus está chamando um povo para preparar um lugar onde Ele possa se sentir em casa e vir para habitar – a Base existe pra que Deus venha habitar na terra. No Reino de Deus, no fim dessa era, quando Jesus vier governar, Ele vai habitar numa casa por mil anos. Tudo o que Ele faz no futuro, Ele deseja fazer em parte agora. Se dedicarmos o nosso coração, nosso esforço com a visão de uma coisa só: construir um lugar onde Deus possa habitar, Ele vai responder com glória Shekiná, assim como fez quando Davi e Salomão construíram o templo. A Base existe para dar uma resposta a essa pergunta de Deus. E Ele está na resposta, trabalhando no processo de edificar uma noiva, uma ajudadora idônea, onde o Espírito pode se manifestar plenamente. Is 66.2 - Porque a minha mão fez todas estas coisas, e todas vieram a existir, diz o Senhor, mas o homem para quem olharei é este: o aflito e abatido de espírito e que treme da minha palavra - Deus pode fazer todas as coisas sozinho, mas Ele conta com a igreja para preparar a casa para Ele habita e manifestar Sua presença. A dor do coração da nossa comunidade é que Deus está buscando um lugar para habitar. Deus está procurando pessoas quebrantadas com essa missão. De maneira intencional, dando as nossas vidas, abrindo mão da nossa vontade e buscando a Sua face, estaremos preparando esse lugar para Deus habitar. Sem a presença de Deus não correspondemos ao que Ele quer de nós. Ele quer fazer uma aliança conosco em torno da Sua presença, para manifestar a Sua glória. REFLEXÃO 1) Faça uma análise de sua vida e pense nas coisas que poderia deixar de praticar por amor a Deus. 2) Reflita sobre coisas que você intencionalmente tem aberto mão para preparar um lugar para Deus habitar. 3) Agora que você já pensou naquilo que você ainda poderia deixar de fazer e naquilo que você deixou de fazer, pense nas coisas que você poderia fazer para preparar um lugar para Deus habitar.